TERAPIA DE CASAL

Dicas para o casal em conflito

Como saber quando o casal precisa?

Não tem tempo ruim para se pedir ajuda a um profissional para tentar resgatar ou entender o que acontece com a relação. Mas o fato é, deve-se partir da vontade dos dois. Quando os dois estão empenhados em descobrir e trabalhar a relação muita coisa ainda pode ser feita.

O casamento pode estar contaminado por diferentes motivos e a falta de comunicação é algo que deve ser constantemente trabalhado.

Dizer o que não está bom, o que incomoda e assumir as responsabilidades pelos próprios sentimentos são alguns dos comportamentos que o casal precisa adquirir, caso ainda não faça. A maneira como se comunicam também é de crucial importância. Muitas vezes, a vitimização, a arrogância, a grosseria, se tornam formas corriqueiras de comunicação dentro de uma relação, fazendo com o que esse hábito de falar o que se pensa ou o que se sente se tornem cada vez menos frequentes e mais temidos.

Por isso, estar atento ao mínimo de gentileza e respeito é sempre muito bem vindo. Muitas vezes, existem comportamentos de um para com o outro que passa dos limites e sentar para discutir alguns incômodos é muito relevante em algumas situações. Mas claro, desde que essa discussão seja com empenho das duas partes e sempre objetiva. Por isso, cuidado com os exageros! Não é tudo que precisa de uma longa e exaustiva DR.

Muitos casais pecam fervorosamente neste requisito. As exigências na relação passam a ser muitas vezes exageradas. Por isso fique atenta a essa dica. Como saber quando posso ou não cobrar meu parceiro ou parceira?

Só é justo e saudável cobrar o outro quando este está desrespeitando a sua vida. Isso significa que exigir que o outro seja o que você espera, talvez a partir daí, seja você que esteja desrespeitando seu parceiro(a). Tentar ou querer que o outro mude pra seu bel prazer, não é a maneira mais saudável de salvar esta relação.

Muitas vezes, um dos dois ou os dois, caem na armadilha de fazer demais, desrespeitando a si mesmo, desrespeitando suas próprias vontades e valores. Agindo assim, é possível que automaticamente você passe a querer que o outro também se doe e se prive como você mesma vem fazendo. Observe se este não é o seu caso. Se respeitar na relação também é algo de extrema importância. Lembre-se de que se você não se colocar como prioridade, ninguém fará isso por você. Portanto, se valorize!

Assim como numa relação de sociedade, é natural que o casal tenha seus ‘contratos’ dentro da relação. Esse contrato é algo que o casal junto chega a um acordo dos seus limites. Em outras palavras, o que pode e o que não pode.

Esses acordos deve ser algo de concordância mútua do casal. Lembrando que uma relação em que o mínimo de liberdade individual não está presente ou em que não se está ‘preso’ por vontade, já tem um grande passo para o fracasso e ao desgaste.

Outro ponto importante é que, é muito comum um dos dois ou os dois adquirirem um certo receio quanto às discussões ou as famosas ‘DRs’. Brigas agressivas e sem finalidades são, sem dúvida nenhuma, desnecessárias. Mas discussões, nem sempre são ruins, desde que se tenha o propósito de melhorar, que os dois queiram participar e que seja preservado o respeito de um para com o outro sempre. Desta forma, a discussão vem para somar e não o contrário.

Como está os outros setores da sua vida, fora seu namoro ou casamento?

Vale lembrar que a relação a dois é só mais uma parte da sua vida e que preservar o restante, como amigos, trabalho, atividades físicas, familiares, hobbies e outros, é extremamente saudável, já que mantem sua mente produtiva e ocupada, bem como auxilia a redução de “neuroses” desnecessárias.

Se você faz parte de uma relação que já chegou no auge do desrespeito e que, mesmo já tendo feito de todo o possível, sente que não há respeito do outro nem vontade de melhorar, também é importante saber a hora de parar de tentar.

Alguns casos, a relação passa por muitos desgastes e o sentimento muda, a relação fica desconfortável, mesmo que apenas para um dos pares. Acontece! Se esse é seu caso, suas opções são claras: romper a relação na tentativa de que os dois possam se refazer de uma maneira mais completa ou procurar uma psicoterapia individual caso haja dúvidas quanto à decisão.

Lembre-se. A relação só será saudável para os dois, enquanto ainda houver amor, respeito e vontade dos dois em prosseguir. Se acaba para um, automaticamente, acaba para o outro também, que precisará se reconstruir, se valorizando e entendendo que estará melhor com alguém que corresponda aos sentimentos que deposita.

A busca de um auxílio profissional, junto à um psicólogo(a), deverá ser feito quando sentir que está com dificuldades na relação, se possível, aos primeiros sinais. Adiar a procura é como adiar o tratamento de uma doença física, quanto mais espera, mais complicada as coisas podem ficar.

Junto à terapia, o profissional trabalhará as dificuldades do casal, levando à resolução de seus conflitos. Em alguns casos, a separação torna-se a decisão final, quando nada mais se pode ou se quer fazer.

A psicoterapia de casal não é a única forma de se trabalhar a relação, já que você pode estar sofrendo calada dentro de uma situação e pode preferir a psicoterapia individual, presencial ou online, para trabalhar a si mesma e, consequentemente, também causar mudanças significativas na relação.

Torne desta oração seu mantra:

“Eu faço as minhas coisas
Você faz as suas
Não estou nesse mundo para satisfazer suas expectativas
E você não está neste mundo para viver conforme as minhas
Você é você
Eu sou eu
E, se por acaso, nos encontrarmos
SERÁ ÓTIMO
E se não,
Nada se pode fazer”
Fritz Perls


Muita luz no seu caminho!
Catia Gizoldi
Psicóloga